Escolha uma Página

Mas o organismo é inteligente e consegue combatê-los com o auxílio de antioxidantes, presentes na alimentação e em produtos cosméticos. É o que conta o dermatologista e nutrólogo Rafael Soares, professor do Instituto BWS: “Os antioxidantes limpam nosso organismo de radicais livres. ‘Roubam’ o que há de errado neles, tornando-os substâncias incapazes de nos fazer mal”. Em vitaminas e em elementos químicos
Segundo Valéria, a descoberta dos antioxidantes começou com a pesquisa da vitamina C e sua capacidade de bloquear ou pelo menos reduzir a ação dos radicais livres. Aos poucos, descobriu-se que outras vitaminas, como a A e a E, também conseguiam proteger o organismo.
Elementos químicos, como zinco, selênio, cálcio, ômega 3 e resveratrol foram estudados e entraram na lista dos principais antioxidantes a que temos acesso.
Sejam vitaminas, sejam elementos químicos, todos têm a mesma função. “De maneira bem simples, qualquer antioxidante vai se sacrificar para remover do nosso organismo os radicais livres”, diz Rafael. Prato cheio de antioxidantes
Acerola, caju, laranja, limão, melão, morango e tomate: frutas repletas de vitamina C
Cenoura, batata doce, abóbora, damasco, folhas verdes (como espinafre e brócolis), melão, manga e mamão: ótimas fontes de vitamina A
Grãos em geral, castanha do Pará, gérmen de trigo, semente de girassol, arroz integral, amêndoa e nozes: para consumir vitamina E, zinco e selênio
Uva roxa (Niágara) e chocolate: melhores fontes de resveratrol
Salmão, atum, sardinha e linhaça: ricos em ômega 3.
A melhor maneira de consumi-los é naturais, com casca e, quando possível, crus, de acordo com Rafael. “Os alimentos naturais modificados, como sucos, extratos, polpas e refinados, terão uma quantidade menor de antioxidantes”, argumenta.